Laudo inicial aponta asfixia como causa da morte de homem em supermercado

Foto: Reprodução/Twitter

As análises iniciais do Instituto Geral de Perícias do RS (IGP-RS) na necropsia de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, apontam para a possibilidade de asfixia como causa da morte do homem negro, espancado em um supermercado Carrefour de Porto Alegre. Ele foi morto por dois seguranças brancos, na noite passada.

Segundo o IGP, ainda existem exames laboratoriais em andamento, e os laudos definitivos devem ser concluídos nos próximos dias.

O corpo foi levado aos Departamentos de Criminalística e Médico-legal ainda na noite de quinta, e foi liberado para os familiares na tarde de sexta.

Os dois seguranças, Magno Braz Borges e Giovane Gaspar da Silva, foram presos em flagrante, e tiveram a prisão preventiva decretada na tarde de sexta. Magno é funcionário terceirizado do supermercado. Giovane é policial militar temporário, e por isso, segundo a Brigada Militar (como é chamada a Polícia Militar no RS) não poderia estar trabalhando no local.

Os dois teriam espancado João Alberto após um desentendimento dentro do supermercado, onde a vítima fazia comprar com a esposa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *