HSJB reduz atendimento devido ao atraso de salários

Foto: Divulgação

Os profissionais de saúde do Hospital São João Batista, em Volta Redonda, reclamando de atraso no pagamento de salários, reduziram a partir desta quinta-feira, dia 19, o atendimento, que está sendo feito somente em casos de urgência e emergência. Na noite passada, eles divulgaram uma carta aberta à população.

O hospital – o maior da rede pública do Sul Fluminense – continua sendo administrado pela Associação Filantrópica Nova Esperança (AFNE), três meses depois de a prefeitura de Volta Redonda ter anunciado o rompimento do contrato com a organização social. Ainda sem receber o pagamento de outubro, os profissionais de saúde afirmam que “a situação está insustentável”.

Barra Mansa

Pela manhã, a prefeitura de Barra Mansa divulgou uma nota, sem citar Volta Redonda, informando que “há sobrecarga no sistema de atendimento de urgência e emergência de saúde pública, em decorrência da diminuição dos serviços de atendimento em cidade vizinha”.  Na nota, emitida pela Secretaria de Saúde, é informado ainda que “está sendo feito um grande esforço para aumentar a capacidade de atendimento na rede, e que não se furtará em momento algum a atender qualquer cidadão que procure pelos serviços no município”.

A carta divulgada pelos profissionais do HSJB:

“Nós, profissionais da saúde, onde funciona o maior hospital da cidade, referência em Alta complexidade em traumato – ortopedia, neurocirurgia, vascular, buco – maxilo – facial e gestação de alto risco para  urgência e emergência da Rede Municipal de Saúde de Volta Redonda, que atualmente é administrado pela O.S ( Organização Social Filantrópica- Nova Esperança), pedimos socorro.

Reforçando que o fluxo de atendimento é muito alto para a demanda de funcionários sobrecarregando assim o serviço.

Além do mais uma administração que se preocupa com a qualidade de serviços à população, tem por dever oferecer salário, boas condições de trabalho e respeito aos trabalhadores públicos.

Mas, não é o que, realmente acontece no nosso município, estamos com o salário atrasado referente a outubro, e nenhuma satisfação dos órgãos competentes é comunicada, fortificando que muitos profissionais não possuem outro vínculo empregatício, e precisam além de cumprir carga horária, precisam também cumprir obrigações pessoais não sendo possível até o momento, a situação é urgente e nós profissionais estamos exaustos, somos expostos o tempo inteiro a infecções e  trabalhamos de forma exacerbada, ofertando o melhor atendimento com qualidade, humanização e afeto ao próximo mesmo com todos os problemas até aqui apresentados.

Em suma, solicitamos por meio dessa que os responsáveis tomem alguma providencia quanto ao pagamento dos servidores, pois quem vive a realidade e o dia a dia do HSJB sabe que são dias longos e desafiadores pois e situação está insustentável, e remar num mar de incertezas se torna um desafio na arte do cuidar”.

O que diz a prefeitura de Volta Redonda

A Secretaria de Saúde de Volta Redonda divulgou, no início da tarde desta quinta-feira, nota na qual informa que está buscando meios judiciais para realizar, diretamente, o pagamento de salários de outubro aos enfermeiros e técnicos de enfermagem do Hospital São João Batista. De acordo com a nota, uma reunião estava programada para às 13 horas com o Poder Judiciário, “para auxiliar nesta questão”. Diz ainda que “não está em atraso com nenhum repasse para a Organização Social e que há recursos para tal, mas há divergências em um processo que está sendo finalizado”.

No comunicado, a secretaria informa ainda que a cidade conta com quatro unidades de urgência que estão com seus atendimentos em pleno funcionamento: UPA Santo Agostinho, Hospital do Aterrado, Hospital do Retiro e Cais Conforto.

“A Secretaria de Saúde reafirma que não está em atraso com nenhum repasse para a Organização Social e que há recursos para tal, mas há divergências em um processo que está sendo finalizado. É importante frisar aos funcionários e terceirizados que a Secretaria de Saúde, buscando realizar o pagamento de forma direta a estes colaboradores, está preservando os trabalhadores em um processo final de rescisão, evitando, por exemplo, que alguma empresa receba recursos e não pague seus funcionários”, finaliza a nota.

A prefeitura de Volta Redonda informou, há três meses, que rescindiria o contrato com a AFNE, no Hospital São João Batista, e também com a organização social Mahatma Ghandi, responsável pela gestão de outro hospital público (do Retiro). Inicialmente, a transição para a devolução da administração dos dois hospitais ao poder público deveria ter durado um mês, mas até agora as duas OS continuam à frente da gestão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *