Passageiro de helicóptero que caiu em Rio Claro é identificado

Reprodução

A Polícia Civil confirmou, na tarde passada, a identidade da segunda vítima da queda de um helicóptero em Passa Três, distrito de Rio Claro. O passageiro da aeronave era Roberto Yoshio Mayashida, de 38 anos. Ele era morador de Guaíra, no Paraná, mesmo estado onde residia o piloto Gelson Morais da Silva, de 34 anos. A delegacia de Rio Claro, onde foi instaurado inquérito para apurar o acidente, confirmou que a mãe de Roberto esteve no Instituto Médico Legal de Volta Redonda para liberar o corpo para o sepultamento no Paraná. Segundo a polícia, o nome do passageiro não coincide com dois documentos de identidade encontrados junto ao corpo da vítima e que estão em nome de Daniel Lopez. Segundo a polícia, as identidades são diferentes, sendo uma de Minas Gerais e outra do Paraguai, mas as fotografias são iguais nos dois documentos. A irmã do piloto, que também mora no Paraná, informou que o aparelho teria decolado de Macaé, faria um voo pelo Sul do estado e retornaria à cidade do Norte Fluminense. No entanto, um site que faz cobertura das regiões dos Lagos e do Norte do estado, informou que o helicóptero decolou de Macabuzinho, distrito de Conceição de Macabu. Segundo o que já foi apurado, o piloto estava regularmente cadastrado na Agência Nacional de Aviação Civil, a Anac, mas o aparelho estava com a documentação vencida desde 2018 e, por isso, não tinha autorização para voar. A irmã de Gelson disse que ele recebeu uma proposta para testar o helicóptero para uma empresa que estava abrindo uma escola de aviação em Macaé.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *