Volta Redonda vai defender permanência da flexibilização do comércio

Reprodução

O prefeito de Volta Redonda, Samuca Silva, informou na manhã desta quinta-feira, dia 14, durante a entrevista diária ao programa Dário de Paula, que a prefeitura tem até às 10h20 de hoje para enviar à Justiça a defesa da permanência da flexibilização do comércio na cidade. A ação acontece após o Ministério Público estadual (MPRJ) e a Defensoria Pública pedirem o fechamento das atividades.

Samuca voltou a falar que é preciso monitorar a situação dos leitos, mas que o município está dentro dos eixos estabelecidos no acordo com o MPRJ para a reabertura das atividades. São eles: o número de casos suspeitos não aumentar em 5% a cada dois dias; a ocupação de leitos de UTI não ultrapassar 50%; a ocupação de leitos no Hospital de Campanha não ultrapassar 60%; o grupo de risco permanecer em isolamento social; uso obrigatório de máscara nas ruas; além de manter a proibição de qualquer tipo de aglomeração.

“Vamos reforçar que precisamos monitorar a capacidade de leitos porque o vírus não tem prazo pra ir embora. Países que passaram por esses quatro meses de quarentena e retornaram a ‘normalidade’ já estão com novas ondas de contaminação. Se não encontrarmos uma forma de controlarmos os leitos na cidade , ficaremos quatro meses fechados. Temos até 10h20 para sensibilizar o juiz que Volta Redonda pode sim manter o comércio reaberto se monitorar sua rede de saúde”, declarou o prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *