MPF apura explosão ocorrida na CSN

Depois de uma forte explosão, que fez tremer vidraças em vários pontos no entorno da Companhia Siderúrgica Nacional, em Volta Redonda, na manhã passada, a população ficou sabendo que 30 trabalhadores foram levados ao Hospital das Clínicas por causa de intoxicação pela fumaça, atendidos e receberam alta. Uma nota do Hospital, divulgada no final da tarde informa que todos chegaram com desconforto respiratório, irritação nos olhos e pequenas contusões. Não houve caso de maior gravidade. A empresa, também em nota, informou que eles foram levados ao hospital por precaução, explicando que o incidente ocorreu durante a transferência de escória líquida que, provavelmente, teve contato com pontos de umidade no interior do pote de descarte.

O Ministério Público Federal informou que promoveu diligência visando apurar a explosão o caso. O procurador da República Luiz Eduardo Camargo Outeiro Fernandes requisitou informações ao 22º Grupamento de Bombeiros Militar, ao Departamento de Aciaria da siderúrgica e aos hospitais das Clínicas, São João Batista e da Unimed.

Dentre as informações solicitadas, estão os nomes e estado de saúde das vítimas atendidas, cópias dos prontuários de atendimentos de emergência, se houve incêndio ou não, cópia do relatório ou documento elaborado em razão da ocorrência pelos bombeiros responsáveis pelo atendimento, se houve Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT), assim como demais informações úteis para a ocorrência.

À tarde, uma equipe do Inea (Instituto Estadual do Ambiente) se dirigiu à usina, mas até o momento não foi possível apurar se o órgão tomou alguma medida relacionada ao que a CSN classifica de “incidente”.

O resultado da inspeção feita pelos fiscais do Instituto Estadual do Ambiente só será divulgado hoje, pela assessoria de imprensa do Inea.

Na tarde passada, a empresa informou que a Aciaria já havia retomado o seu ritmo de produção

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *